Quando o assunto é embelezar o jardim através da iluminação, não existem regras fixas para o planejamento luminotécnico. Porém, é possível valorizar ainda mais a área externa da casa seguindo algumas dicas.

Antes mesmo de dar início ao projeto de iluminação do jardim, é preciso entender quais são os principais objetivos. Além disso, para escolher os materiais que serão aplicados, é importantíssimo conhecer os tipos de plantas que fazem parte do espaço, suas características e composições.

A escolha das lâmpadas

Elemento central do projeto luminotécnico, a lâmpada precisa ter atenção especial. Para isso, é fundamental analisar o índice de reprodução de cor (IRC), a temperatura da cor (K) – que pode ser branca quente (2700k a 3000k) ou branca fria (4000k a 6000k), o fluxo luminoso, a rentabilidade e os efeitos de radiação. Por sua longa vida útil, economia e baixo aquecimento, a tecnologia LED é uma excelente opção para iluminação de jardins.

A fibra ótica também pode ser uma boa alternativa. Assim como as lâmpadas de LED, a fibra ótica não transmite altas temperaturas às plantas, preservando-as. Além disso, esse tipo de sistema tem outra vantagem: a segurança. Isso porque não há transmissão de energia elétrica, e os terminais não provocam choques ou queimaduras.

É preciso estar atento, já que o clima que se deseja dar ao espaço pode ser influenciado diretamente pela temperatura de cor da lâmpada. Temperaturas mais baixas, por exemplo, transmitem um ar mais sofisticado. Caso o objetivo seja dar destaque, a luz branca é muito indicada.

Onde fazer as instalações?

A escolha das luminárias dependerá do efeito desejado. Se o objetivo for efeito de sombra e vultos, também conhecido como backlight ou efeito selva, o recomendado é colocar luminárias entre a vegetação.

No entanto, se o intuito é dar destaque a arbustos, esculturas ou qualquer outro objeto, a iluminação de destaque é obtida através de luminárias com facho direcionado ou embutidas no solo. Já a técnica up light é recomendada para valorizar uma árvore e, através de uma luminária embutida no solo, permite iluminar o tronco e a copa debaixo pra cima.

Colorido com qualidade

O uso das cores requer muita atenção, principalmente para não gerar saturação e fadiga. Além disso, a luz verde também não deve ser utilizada como elemento de destaque, já que não oferece contraste e deixa o ambiente monocromático. A cor âmbar, no entanto, transmite um efeito alaranjado, proporcionando maior harmonia e aconchego.

Cuidados com a rede elétrica

Em relação à parte elétrica, é importante observar o tipo de fiação que será utilizada, que precisa estar adequada às cargas de cada circuito e à soma de potencias que serão empregadas. Caso os fios não estejam bem protegidos, acidentes com moradores e até animais de estimação podem acontecer.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *